Bichinhos carentes

0
524

A Associação Protetora dos Animais Vira-Lata é Dez, entidade sem fins lucrativos, foi criada há 20 anos por um grupo de pessoas compadecidas com a dor e o sofrimento dos animais abandonados, sendo oficializada em fevereiro de 2003. O maior objetivo da ONG é modificar o comportamento da sociedade em relação aos animais domésticos e construir um mundo mais justo para todos os seres vivos.
Entre as ações promovidas pela associação está o trabalho de castração de animais de rua e de animais pertencentes a pessoas carentes, que não têm condições de cuidar da saúde e bem-estar de seu bichinho de estimação. Muitos deles são recolhidos por terem sido atropelados, estarem doentes, mutilados, com dermatoses graves, com ninhadas recém-nascidas e alguns há horas, e até dias, à espera de socorro no meio da pista ou canteiros das vias públicas. Esses animais são levados para um sítio no interior de São Paulo, com uma área de aproximadamente 12 mil m², onde a associação mantém um canil com 420 cães e 51 gatos. “Ultrapassamos nossa capacidade de abrigo. Não temos condições de auxiliar outros animais face às enormes dificuldades para a manutenção do canil, uma vez que não possuímos ajuda de órgãos públicos, associados ou empresas privadas”, desabafa a presidente da Vira-Lata é Dez, Ana Tancredi, que constantemente encontra cães e gatos abandonados em frente à sede da associação, localizada em Pinheiros. “Infelizmente não podemos mais divulgar nosso endereço e telefone, pois as pessoas acreditam que por se tratar de uma ONG temos a obrigação de aceitar e cuidar desses novos animais. O custo mensal do canil gira em torno de onze mil reais, só em despesas com ração são seis mil reais, e nossa verba vem unicamente da arrecadação em eventos realizados pela Vira-Lata é Dez e pelo esforço pessoal dos membros e voluntários da associação”.
Outra iniciativa da ONG são os programas educativos junto às escolas e sociedade em geral, que visam conscientizar e esclarecer sobre a responsabilidade e respeito que um animal doméstico necessita. Afinal, “poder compartilhar a vida com um animal de estimação é uma das experiências mais gratificantes que existem. O amor incondicional que recebemos nos preenche de auto-estima e de saúde”, afirma Ana, inconformada com a realidade de centenas de cães e gatos abandonados, perdidos, nascidos na rua, ou mesmo sendo entregues aos Centros de Controle de Zoonoses (CCZ) para sacrifício por aqueles que se dizem donos dos pobres bichinhos.
Mas nem tudo está perdido. Vários animais, a maioria deles sem raça definida (SRD) – o popular vira-lata, estão prontos para serem doados (examinados, castrados e vacinados). Quem não pode ter um cão ou gato em casa, mas quer ajudar um animal pode optar pela “adoção à distância”, ou, “apadrinhamento”. Basta escolher o animal por meio das fotos disponibilizadas no site www. viralataedez.com.br e contribuir financeiramente com o tratamento dele. O valor mínimo estipulado é 15 reais, o equivalente a um saco de ração. O animal continuará sob os cuidados da associação que enviará fotos atualizadas do bichinho e quando o padrinho ou madrinha quiser ir visitá-lo, basta entrar em contato com a Vira-Lata é Dez para agendar uma visita. Outra maneira de contribuir com a ONG é doando alguns materiais como ração, vasilhas, jornais, produtos de limpeza, vacinas, vermífugos, antipulgas, vitaminas, remédios e outros. Para contribuir escreva para o e-mail ana. tancredi@ig.com.br. Os animais agradecem!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA