Sua majestade, a coxinha. Dia 18 de maio é o dia dela!

0
1370

Como toda criação que resultou em sucesso, são muitas as versões sobre a origem desse salgado que faz sucesso em todo o Brasil.

Uma das versões é que a coxinha surgiu como forma de ser vendida em bares e nas portas das fábricas de São Paulo, nos anos 1950. A receita é massa feita de farinha de trigo e recheada com frango desfiado e moldada em formato de coxinha e frita no óleo quente. É francesa a outra versão. O croquete de poulet é citado no ivro de culinária do chef de cozinha Antonin Carême (1784-1833).

Segundo a historiadora Roberta Malta Saldanha, autora do livro “História, lendas e curiosidades da Gastronomia”, as deliciosas coxinhas de frango são parte da nossa história desde a época do Brasil Imperial. Tudo teria começado com o filho da princesa Isabel, que era criado na fazenda por ser uma criança especial. Ele tinha como comida preferida as coxinhas de galinha. Um dia, ao notar que faltaria a comida preferida do filho da princesa, a cozinheira desfiou as outras partes do frango e as envolveu em uma massa. Assim nasceu a coxinha, que conquistaria primeiro os nobres e depois se tornou popular.

Francesa ou paulistana, a coxinha chegou e nunca mais saiu do cardápio. Os recheios além do frango desfiado também ganharam outros ingredientes como o requeijão.

E no dia 18 de maio é celebrado como o Dia Nacional da Coxinha. O quitute, que é um dos mais amados e vendidos em todo o Brasil, ganhou um dia especial para chamar de seu. Seja no happy hour entre amigos, ou em festas, a coxinha não pode faltar. Há versões sem glúten para os cilíacos e veganas, onde verduras substituem o frango. Todos merecem a cozinha, certo?

São Paulo em seu gigantismo gastronômico reúne um sem número de locais onde o petisco pode ser degustado. E na Vila Madalena, três endereços onde ela, a coxinha, reina majestosa e saborosa.

2305-Coxinha-18-5-div
Vila 567. Bar e balada frequentada por público que gosta de música sertaneja, pagode e funk, em shows com música ao vivo ou por DJs. Aqui, a coxinha é servida em porções de 6 unidades. Pode ser acompanhada de caipirinha e cerveja gelada. Rua Aspicuelta, 567, terças e quintas, das 17h às 4h; sextas, das 17h às 5h; sábados, das 12h às 5h; e domingos, das 12h às 2h.

Boteco Todos os Santos. Público adepto ao samba e do pagode em estilo balada. A música pode ser ao vivo ou por DJs e vários TVs permitem que os clientes possam acompanhar eventos esportivos saboreando coxinhas e cervejas supergladas e outros drinques. Rua Aspicuelta, 585, quartas e quintas, das 17h às 4h; sextas, das 17h às 5h; sábados, das 12h às 5h; e domingos, das 12h às 2h.

Lili. A clientela encontra por aqui uma balada animada ao ritmo de funk, pagode e sertanejo, em quatro ambientes, ao som dos DJs residentes.. Os grafites do Dicesar Love que prestam homenagens a grandes nomes da arte decoram os ambientes. Aqui, a porção de coxinha de frango é servida em 7 unidades. A pedida para acompanhar são os drinques autorais da casa. Rua Aspicuelta, 436, quintas e sextas, das 17h às 5h; sábados, das 13h às 6h; e domingos, das 13h às 4h. (GA)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA