Os direitos|dos bichos

0
753

Foto:

Produtos adquiridos pelo site

Há pouco mais de dois anos na Rua Harmonia, a Arca Brasil é uma entidade que trabalha com o objetivo de promover o bem-estar e o respeito aos direitos dos animais. O projeto se inspirou de uma ação conjunta de Marco Ciampi, atual presidente da instituição, e Ric O’Barry, ativista internacionalmente reconhecido pela sua luta em favor dos direitos dos animais.
Na visão do presidente da instituição, a Ong é um polo de vanguarda nas atitudes consideradas indispensáveis, sob o ponto de vista humanitário, do controle dos animais abandonados. Essa população, na explicação do presidente da Arca Brasil, se torna abandonada porque ela tem origem em uma família que provavelmente não teve acesso aos métodos preventivos, ou desconhecia o assunto. “Há muitos capítulos que cercam a questão da posse irresponsável dos animais”, comentou.
De acordo com Marco, ainda hoje há pessoas que abandonam deliberadamente os animais, mas há casos em que o animal escapa pelo portão, sai atrás de um outro animal ou foge de maus tratos. São milhares de situações intermediadas e orientadas na busca de uma solução focadas na saúde e na integridade do bicho. “Temos a missão de informar como se dá o controle do animal abandonado por vias diferentes das tradicionais”.
“A Ong não exerce o papel de dar destino aos animais, e sim, orientamos como o dono do animal ou o interessado na causa, pode agir em cada situação”.
Para a manutenção dos projetos e eventos, a Arca Brasil conta com participações de empresas do setor, instituições e associações de órgãos de classe, colaboradores espontâneos, vendas de produtos e merchandising, que de acordo com a percepção do ativista, cresceu bastante o número de pessoas que querem aproximar a sua marca à causa. Além disso, o selo “Empresa Amiga do Animal” é um selo da Arca Brasil que atesta e certifica que a empresa respeita esses direitos. Durante todo o mês de julho, o leitor encontra os produtos da Arca Brasil na Ponta da Vila, que fica na Rua Fidalga, 643.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA