Vovôs bem de saúde|de saúde

0
927

Foto:

Cláudio Lemos

Segundo estudos feitos pela ONU, a cada dia aumenta o número de idosos no mundo. Em 2015, esse público pode chegar a um bilhão. E a pergunta é: como estarão esses velhinhos? Esperamos que com muita disposição.

Para ajudar essas pessoas a terem qualidade de vida, cada vez mais projetos são criados. Um deles é o programa da 3a Idade, da Aquasport. “Esse é um público que muitas vezes tem vergonha de entrar na academia, se sentem deslocados. Pensando nisso, resolvemos tirar essas pessoas de casas e colocá-las para se exercitarem”, explica Cláudio Lemos, coordenador de musculação e das atividades para terceira idade da academia, que está há 23 anos na região.

Por lá, são oferecidas atividades como musculação, ergometria (esteira, bicicleta, etc), hidroginástica e mat pilates (pilates de solo). As aulas duram de 45 a 90 minutos, mas esse tempo pode variar conforme a necessidade de cada um, por isso, é necessário fazer uma avaliação antes de iniciar os exercícios. Os dias das atividades variam, seguem um cronograma estabelecido pela academia, por exemplo, as aulas de musculação são na segunda, quarta e sexta-feira.

Os benefícios dessas atividades para terceira idade são inúmeros. A hidroginástica, por exemplo, faz melhorar a condição cardiovascular. Já a ergometria é benéfica para perda de gordura e para função cardiorrespiratória. A musculação ajuda contra a diminuição óssea e faz com que haja o ganho muscular e de força. Quanto ao mat pilates há uma melhora da postura e do equilíbrio. “É possível ver a modificação no corpo dessas pessoas: melhora do tônus muscular. ganho de massa muscular e postura melhor”, conta o professor.

As aulas podem ser feitas sempre pela manhã, a partir das nove horas. “Consideramos ser um horário em que os idosos estão livres. Por ser antes do almoço, achamos que podem aproveitar o pós-treino”, diz Lemos. 

É muito importante fazer exercícios na terceira idade, isso por que as atividades podem garantir alguns anos de vida a mais. “Quem não se exercita tem uma qualidade de vida inferior, sofrem mais com dores articulares, com taxas de glicemia e colesterol mais altos, resistência física para tarefas do dia a dia dificultadas, estando mais sujeito a ter problemas cardíacos, de pressão arterial, osteoporose, etc.”, elucida o professor.

Hoje, na academia quem frequenta mais as atividades são os homens da terceira idade. Segundo Lemos, isso acontece por que as idosas viveram em uma época que não era comum as mulheres irem à academia.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA