Um vida|entre livros

0
1092

Foto:

Alberico em sua livraria

Em 1998, ele criou o Espaço Cultural Alberico Rodrigues na Praça Benedito Calixto, que hoje reúne em um mesmo lugar uma livraria, um sebo, um pequeno teatro e espaço para saraus literários entre outras atividades culturais, além de um simpático café.
Quando menino, o baiano de Poções, Alberico ou Albe, como é conhecido pela família, preferia os livros às brincadeiras com os sete irmãos. Quando o pai quis que ele fosse para Portugal para estudar medicina na Universidade de Coimbra, ele preferiu seguir para o Rio de Janeiro para viver de acordo com sua vontade. Lá viveu dando aulas de inglês e português.
Da infância na fazenda dos pais, Alberico lembra de Zé Batalha, um velho trabalhador rural. Zé Batalha o encantava pelo jeito manso e amigo “que ao mesmo tempo inspirava medo e admiração”, diz. Ele acabou virando personagem do seu primeiro romance “Zé Batalha, herói da infância”, escrito em 2004. Depois escreveu “A Saga de um Baiano na Cidade de São Paulo” (2006), seguido por “Banquete de Contos e Poesias” (2006). Todos editados por sua editora, a Mentes Raras.
Formado em Letras (inglês e português) e Turismo, ele estudou em Cambridge, na Inglaterra, em Palma de Maiorca, na Espanha e também em Nova York, onde foi convidado para trabalhar na universidade. Mas o desejo que tinha de criar um espaço cultural o trouxe de volta ao Brasil.
Além da literatura, ele também é ator e diretor formado, com atuações no Teatro Popular do Sesi e participação em filmes como “Asa Branca”, onde fez um rígido técnico de futebol.
Quando voltou ao Brasil, foi morar no Rio mas acabou não se adaptando à cidade. Resolveu vir para São Paulo. Logo que chegou, achou o imóvel na Praça Benedito Calixto onde ergueu o Espaço Cultural Alberico Rodrigues. “Esta região tinha e ainda têm a vocação cultural que poucos bairros de São Paulo têm”.
Hoje ele não está tão presente na livraria como antes. No momento está finalizando a peça “A evocação do Zé Batalha – Teatro Rural Brasileiro”, da qual assina a direção e deve iniciar temporada em maio no seu teatro. Ao mesmo tempo, está captando recursos para fazer um longa-metragem em parceria com Galileu Garcia de um roteiro seu e que espera produzir no próximo ano.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA