Hora de aprender idiomas

0
603

O mundo globalizado pede pessoas que dominem novas tecnologias e, claro, vários idiomas. Espanhol e inglês são os mais pedidos, mas outras línguas são sempre bem recebidas em entrevistas de emprego e de estágio.
Na Vila Madalena temos boas escolas para quem quer começar cedo, como a Wizard, ou para aqueles que não têm mais tempo a perder, como a UNS.
A pouco mais de um mês no bairro, Rubens de Carvalho, um dos sócios da Wizard da Vila, diz que “a intenção de trazer uma escola como essa pra cá é poder proporcionar mais comodidade às pessoas que moram ou trabalham por aqui”.
Além de espanhol e inglês, a escola agora oferece mais cinco idiomas: francês, italiano, alemão, chinês (mandarim) e japonês. “O carro-chefe é o inglês, mas nos últimos dois anos os outros idiomas cresceram 20%”, diz Rubens animado.
A Wizard é uma escola muito ligada aos jovens e utiliza uma metodologia relaxante, que facilita a aprendizagem. “É como uma criança, que primeiro aprende a falar, depois a escrever e ler”, explica ele. A escola também oferece cursos para grupos fechados, que necessitam estudar algo mais específico.

Para adultos

Para quem já está no mercado de trabalho e quer recuperar o tempo perdido, a proposta da UNS é de inglês em 18 meses. Recém-inaugurada, a escola só trabalha com inglês direcionado para o público adulto (a partir de 18 anos), numa região cheia de escritórios e de muito movimento. Leonardo Dix e sua esposa Cintia garantem o aprendizado. “Nossos alunos precisam do inglês para falar, por isso estamos voltados para conversação, para o dia-a-dia do idioma”, explica Leonardo.
Profissionais e empresas são os clientes que mais procuram o curso da UNS. São três horas semanais, que o aluno divide como quiser, com turmas reduzidas, e no tempo sugerido o aluno sai falando fluentemente.
A partir de agora a escola também oferece a oportunidade do aluno cursar 40 horas fora do País, no final do curso, um convênio com a SSU – Southern States University, de San Diego (EUA). “Isso soma muito para quem está no mercado de trabalho e é uma forma de colocar em prática o que o aluno aprendeu aqui”, acrescenta Leoonardo. Com uma estadia de 15 a 30 dias, essas horas são divididas em módulos de estudo e, assim, agregam um conhecimento maior do idioma, além de toda bagagem cultural que se adquire numa viagem.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA