Dinheiro e felicidade

0
1499

Nesse mundo capitalista, onde a ganância se sobrepõe aos valores humanos e a soberba é encontrada a cada esquina, como lidar bem com o dinheiro sem se deixar dominar por ele? Como não ser perdulário e o que fazer para obter os recursos necessários para viver bem? Afinal, dinheiro traz felicidade?
Há quem diga que sim. Segundo matéria publicada pela revista Vida Simples, edição de fevereiro de 2005, “o consenso entre os economistas até agora é de que, sim, o dinheiro traz felicidade. Os ricos, aparentemente, são mais felizes que os mais pobres”. Porém, nada é tão simples assim. “Depois de um nível básico em que as necessidades e alguns luxos estão atendidos, mais dinheiro não traz felicidade extra”.
Para aprender a lidar com o dinheiro e entender as crenças sobre ele, há alguns cursos específicos, como o ministrado pela terapeuta Vésper Lúcia Severino. “Neste curso, tratamos da aceitação da energia do dinheiro, as crenças e os sentimentos em relação a ele que precisam ser analisados”, diz. Segundo ela, a pessoa que tem raiva do dinheiro, por exemplo, tem poucas possibilidades de obter o mesmo. “Ela tem que saber o que o dinheiro representa na vida dela e como trabalhar para que o inconsciente a ajude a ter prosperidade”.
Outro exemplo é a família onde todos os integrantes têm problemas financeiros: isso provavelmente irá se refletir na vida dos filhos. “São essas crenças muito pessoais que fazem com que as pessoas tenham uma certa aversão inconsciente ao dinheiro. O que faz atrair o dinheiro não é o que a pessoa pensa; tem gente que não pensa nada a respeito do dinheiro e ele flui. É o que você sente. Se você tem o sentimento de escassez e ficar repetindo o dia inteiro que tem dinheiro, não está acreditando e sentindo que realmente tem, não adianta que não irá atrair oportunidade de ganhar dinheiro”, explica Vésper.
Utilizando técnicas da impulsoterapia ela ajuda as pessoas a reverterem suas crenças negativas acerca do dinheiro. “Trabalho o corpo emocional, desde as crenças que vêm do útero”, diz. O curso é feito em grupos, quando é ministrada a parte teórica, e depois cada pessoa é tratada individualmente. Novos grupos começam agora em abril. Aproveite!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA