Troca-troca de Natal!

0
1028

Foto:

Troca-troca de Natal!

Natal não é só época de presentes, mas também de sentimentos, principalmente de confraternização.
Para enfatizar ainda mais esse clima, o Instituto Alana sugere uma troca de brinquedos entre crianças para a data. “A troca de brinquedos é sempre uma boa alternativa para estimular as práticas de consumo colaborativo e a economia solidária. Pensar em datas comemorativas como o Natal, por exemplo, em que o real sentido se perdeu, seria um bom momento para que se pensasse no aniversariante”, diz Monica Xavier, assessora de mobilização da organização. 
Há seis meses na região, o Instituto Alana é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que trabalha a favor das crianças, tanto que faz vários projetos voltados para elas. Entre eles, as trocas de brinquedos. “A feira de trocas foi uma ação desenvolvida como uma opção de promover a interação social e o consumo consciente buscando opções de atividades que não foquem apenas o consumo e as mídias como, por exemplo, passeios em shoppings ou muito tempo em frente à TV e ao videogame”, conta Monica.
A primeira feira de troca do Instituto foi feita em parceria com o Movimento Boa Praça e aconteceu no final de setembro do ano passado, próximo ao Dia das Crianças. O evento reuniu cerca de 20 crianças na Praça Paulo Schiesari, na Vila Anglo Brasileira. Hoje, o projeto é realizado em todo país, a organização também incentiva as pessoas a partilharem a experiência em suas casas.“Trocar é necessariamente um ato de cumplicidade, precisa do outro para acontecer. Ao abrir mão de um brinquedo usado que já não tinha tanta importância e fazer com que aquele objeto se torne importante para um colega, a criança aprende sobre a importância de reaproveitar, de ceder para ter aquilo que se almeja, de compartilhar e de praticar o desapego. Para os pais, a feira de trocas é um bom momento para discutir sobre o consumismo, de forma que possam apresentar esse tema para seus filhos e afirmar que as relações não precisam ser pautadas na compra”, diz Monica. 
A troca pode ser feita em diversos lugares. Para participar, as crianças devem estar acompanhadas de um adulto e o brinquedo a ser trocado não precisa ser novo, mas deve estar bem conservado. “É importante que o pequenino seja orientado para compreender que o brinquedo que não é mais usado pode ser muito interessante para outra criança, ao mesmo tempo em que ela também pode encontrar algo muito legal”, finaliza.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA