Para curtir as férias

0
357

Um bom programa para quem não vai viajar nas férias de julho é cuidar do corpo. Para tanto, o Estúdio Move, na Vila Madalena, irá promover oficinas de dança, videodança, B.M.C. ® (Body Mind Centering) e Haikai, nos finais de semana do mês. 
Misto de academia e centro cultural, o Move tem uma grade regular de atividades que vai de aulas de balé contemporâneo até propostas pouco conhecidas no Brasil como o gyrokinesis ® (com movimentos baseados em rotações das articulações), passando por técnicas como pilates e yoga que já conquistaram os brasileiros. Oferece ainda atendimento individual com profissionais especializados em eutonia, gyrotonic ® com aparelho, massagem ayurvédica e acupuntura. O galpão da Vila Madalena também serve de espaço para improvisações, jam sessions e encontros entre profissionais de formação variada. O fio condutor que une todas as atividades do estúdio é a busca de uma consciência corporal, seja para aumentar as possibilidades artísticas de um bailarino ou para garantir qualidade de vida às pessoas comuns.
O projeto Oficinas de Julho vem intensificar esse constante diálogo entre diferentes técnicas. Sem interromper os cursos regulares, as criadoras do espaço e do conceito, Adriana Grechi, Cristina Brandini e Daniela Augusto, decidiram abrir o horário dos fins-de-semana para as oficinas especiais. Além do workshop Oficina de Dança – Estados Corporais, já realizado, ainda dá tempo de participar da oficina de B.M.C ® (Body Mind Centering) “Reflexos Corporais”, com Patricia Franco, nos dias 15, 16 e 17 de julho. Mais voltada para questões de saúde, esta oficina é pensada para que cada participante tome consciência da prontidão de seus reflexos corporais, e, a partir daí, consiga obter melhores respostas do corpo em cena ou no dia-a-dia. “É um trabalho que, através da anatomia do corpo, se chega à criação”, diz Daniela. Esse curso é voltado para atores, bailarinos, profissionais que trabalham com terapias corporais e para quem quiser conhecer melhor o seu corpo. As proprietárias lembram que uma das características do Move é que todos os cursos não exigem grandes sofisticações do corpo ou nível profissional. São também para quem está começando e quer se descobrir. “É a base de tudo que tem aqui, que chamamos de integração funcional: resgatar a organização do corpo como ela é, orgânica, natural e que perdemos com o passar do tempo”, acrescenta Cristina.
Nos dias 22, 23 e 24 é a vez da oficina de Haikai, com Alice Ruiz. Esta oficina de poesia se propõe a familiarizar os participantes com a técnica do haikai. Poema sintético, de muito poucas palavras, o haikai é uma forma de iluminação capaz de captar um instante da natureza para os japoneses. O curso terá uma introdução teórica na qual se aborda aspectos filosóficos e técnicos, o que inclui algumas noções da escrita ideogrâmica, e se analisa haikais japoneses e brasileiros. Em seguida, o grupo fará alguns exercícios que levam a uma criação coletiva. Alice Ruiz é autora de vários livros, entre eles, “Vice-Versos” (Ed. Brasiliense), vencedor do prêmio Jabuti de poesia em 1989. Adriana lembra que há um número limitado de vagas e que as inscrições já estão abertas.
No final do mês, dias 30 e 31, será realizada a oficina de videodança, que tem como proposta transmitir conceitos básicos desta arte que reúne vídeo e dança numa expressão única. O artista é quem dança, mas é também quem filma. O grupo vai aprender sistemas de elaboração de roteiro (teoria e prática), captação de imagens (teoria e prática), edição e finalização (teoria). Para mais informações, entrar em contato com o Estúdio Move.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA