Tempero baiano na Vila

0
820

Como diria Gil: “toda menina baiana tem encantos que Deus dá…”. E a baiana Keka encanta pelas mãos que cozinham como ninguém! Natural de Ilhéus, Sul da Bahia, ela já levou seus pitéus para o Rio de Janeiro, onde teve dois restaurantes por cerca de sete anos, e recentemente se mudou para a capital da gastronomia. Em São Paulo, ela cativa os freqüentadores do Sacolão da Vila com sua comida típica e o jeito arretado de quem é filha de Oxossi e Mãe Menininha.
O acarajé é o prato principal de Keka. Tanto é que lhe rendeu o apelido de Keka do Acarajé. E não é por menos. Até Caetano Veloso não dispensa o acarajé da baiana, que organiza a maioria dos bufês de aniversário do compositor. Ney Matogrosso, Miguel Falabella, Marlene Mattos, Marisa Orth, Paulinho Boca de Cantor e Marcelo Rubens Paiva também são alguns de seus fregueses. Na área de eventos, Keka se encarrega inclusive dos serviços de garçons e entretenimento para criar uma verdadeira festa com gosto e jeito da Bahia. Ou não… Depende do gosto do cliente.
A receita do acarajé ela não revela totalmente, mas adianta que faz a própria massa do vatapá e troca diariamente o dendê utilizado na fritura dos bolinhos. “O óleo tem que ser na medida certa, só para dar o sabor e a cor. Além disso, coloco gengibre no são vatapá, que quase ninguém usa”. O gengibre também é a base das bebidas preparadas por ela como a caipirosca (gengibre com tangerina) e a batida de gengibre.
Além do acarajé, petiscos como casquinha de siri (veja receita na página 43) e vatapá são entradas sugeridas. Como prato principal, moquecas de peixe e camarão, e o caruru (arroz, farofa e xinxim de galinha). Para sobremesas, cocada, doce de goiaba e punhetinha (bolinho de tapioca com canela, coco e açúcar).
Para saborear a típica comida baiana, vale ir até estande da Keka, principalmente no dia 2 de fevereiro, quando se comemora o Dia de Iemanjá. “Pretendo preparar um caruru especial, que será praticamente uma ceia de cortesia. Os clientes deverão trazer flores para serem oferecidas à Iemanjá”, convida Keka.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA