A literatura feminina de Djanira Pio

0
212
Gerson Azevedo

Após uma carreira bem sucedida de professora de português, a moradora Djanira Pio, dedicou à escrita. Tem vários livros lançados e em todos destaca o protagonista da mulher.

Nascida na cidade paulista de Santa Rita do Passo Quatro, Djanira sempre gostou de ler e escrever. “Em 1953, minha família veio para São Paulo e aqui segui a rotina de muitas outras pessoas, trabalhando durante o dia e estudava à noite. Por aqui me formei em Letras e posteriormente fui dar aulas no interior do estado. Quando surgiu a oportunidade, prestei concurso, passei e fui nomeada professora da rede pública estadual”, relata a professora.

A família de Djanira veio para São Paulo e morou em alguns endereços na Vila Madalena. “Naquela época, estávamos longe de tudo, com ruas em terra… bem diferente de hoje, onde temos tudo ao nosso alcance”, lembra que antes da pandemia do Covid-19 frequentava diversos lugares no bairro e entre eles a Livraria da Vila para ver as novidades em livros, encontrar as amigas para tomar um chá. “Com a pandemia do coronavírus, fiquei mais em casa por segurança e hoje, mesmo vacinada, evito circular sem necessidade. Por esse motivo, aproveitei esse tempo e li e escrevi bastante.”

Djanira, sempre lecionou língua portuguesa e uma das escolas onde ela trabalhou foi o Escola Estadual Carlos Maximiliano Pereira dos Santos, o famoso Max, localizado na rua Jericó. “Foram bons anos e lecionei para muita gente. Hoje, fico feliz quando sei que alguns daqueles alunos seguiram estudando e se formaram nas variadas profissões, como dentistas e muitos deles ainda moram aqui na Vila Madalena”, diz.

Entre suas leituras não cita especificamente um preferido. “Leio tantos autores nacionais como estrangeiros, sem distinção ou preferência específica, romance ou poesia”, explica. A atividade literária já rendeu vários livros “e tenho material pronto, contos e histórias, para outros livros que espero publicar”, adianta.

IMG_6434Em seus livros, a autora sempre destaca e dá ênfase nos personagens femininos. “Acho que as mulheres precisam ser mais valorizadas e respeitadas e isso eu passo em meus escritos. Meus livros não são de memórias e sim de histórias”, resume sua obra.

A lista de livros publicados por Djanira contempla contos, romances e poemas. Entre eles, Fragmentos, A Difícil Vida Inteligente, Vivências, O Tamanho da Vida, O Ciclo da Vida e o mais recente O Jardim das Cordeirinhas, lançado em 2021 e que mereceu uma homenagem especial ao educador e marido Oswaldo Pio Soares, “Ele me ajudou na seleção dos contos e infelizmente morreu antes do livro ficar pronto. Tivemos dois filhos e uma filha, sendo que dois deles também são professores e um músico”, conta com emoção sobre o companheiro de uma jornada de 61 anos.

6453-Djanira Pio-O Jardim...-GAO livro “O Jardim das Cordeirinhas” é composto de 21 contos e mini-contos. As personagens femininas são valorizadas em várias fases da vida. Crianças, jovens, adultas e idosas “que precisam ser mais respeitadas e valorizadas”, lembra a autora. Os contos são criativos, a linguagem utilizada é de fácil compreensão e Djanira não dificulta a vida do leitor, pelo contrário. Leitura agradável, sem dúvida. O conto que deu nome ao livro é “uma simbologia do cordeiro, que nas religiões cristãs representa a inocência, é bem escolhida para as referências às três meninas, inocentes e puras, sem familiaridade com o pecado”, destaca a escritora Cecy Barbosa Campos, que assina o prefácio da obra.

Algumas das obras de Djanira Pio estão disponíveis para compra através no site da Amazon. (GA)

opiosoa@yahoo.com.br
(Publicado no GVM agosto/21)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA