Um pólo de arte e cultura

0
1454

Kátia Gomes

No dia 29 de agosto, a Biblioteca Alceu Amoroso Lima cedeu espaço para a festa de comemoração do primeiro aniversário do “Movimento em Prol do Centro Cultural de Pinheiros”. O evento, organizado pelo Pré-Conselho Regional de Cultura de Pinheiros, aconteceu durante todo o domingo e contou com a participação e apresentação de diversos artistas engajados no projeto. O público presente também interagiu por meio das oficinas de mosaico, aquarela, reciclagem e outras.
O dia foi dedicado a comemorar a iniciativa de um grupo de 40 artistas plásticos, músicos e produtores culturais que atuam em Pinheiros e região.Tudo começou há um ano, quando esse mesmo grupo realizou um evento semelhante, dedicado às artes e em prol do Movimento pelo Centro Cultural, no antigo prédio da Subprefeitura de Pinheiros, na avenida Frederico Hermann Junior. Eles tinham o propósito de ocupar o prédio onde antes funcionava a subprefeitura e criar um pólo de artes e cultura para a população.
Com o apoio da subprefeita, Bia Pardi, do deputado estadual Vicente Cândido e dos vereadores Nabil Bonduki e Tita Dias; após várias conversações com os órgãos públicos, passando pela Conferência de Cultura da Cidade de São Paulo, o Pré-Conselho confirmou, com unanimidade, a necessidade de um espaço destinado ao Centro Cultural porque a região da subprefeitura de Pinheiros é muito grande: estende-se do Ceasa ao Morumbi e do Rio Pinheiros até a avenida Paulista. Esta região é berço de inúmeras manifestações artísticas e, por isso, tem grande potencial turístico. “Toda quarta-feira nos reuníamos na Biblioteca para discutir como viabilizar o projeto e organizamos atividades culturais em ruas, praças, casas de artistas…”, observou Helena Dotta, artista plástica e membro do Pré-Conselho.
Durante um ano o grupo aguardou a decisão sobre a venda de espaços públicos da Prefeitura. Segundo membros do Pré-Conselho, os vereadores envolvidos na causa apresentaram uma emenda em que a venda dos terrenos deveria estar vinculada à criação de espaços para o aproveitamento da comunidade. A emenda foi aprovada na Câmara recentemente, coincidindo com a data do primeiro aniversário do movimento, e garantiu a reserva do prédio na rua Sumidouro, que já foi utilizado como usina de incineração de lixo da prefeitura e que agora será destinado ao Centro Cultural de Pinheiros. O terreno possui cerca de 13 mil m² e conta com uma extensa área verde. “Acreditamos que daqui um ano estaremos com o Centro Cultural em pleno funcionamento”, disse Bia Pardi, ressaltando que a reforma e ampliação do prédio fazem parte do orçamento de 2005 da sub-prefeitura. “Provavelmente será necessário o apoio da sociedade privada e logo após a ocupação da área, o Pré-Conselho deve apresentar um projeto mais elaborado para receber incentivos, da Lei Rouanet, por exemplo”, completou Nabil Bonduki.
Os membros do Pré-Conselho, apoiadores e comunidade puderam festejar em um mesmo lugar por meio de uma série de shows de música, poesia, teatro, mostra de artes, dança, incluindo a escola de samba Pérola Negra, além das oficinas. Uma pequena mostra do espaço democrático que será o Centro Cultural Pinheiros.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA