A praça centenária

0
775

Foto: Gerson Azevedo

Gerson Azevedo
Maria Emília e Edson Lima

O escritor Osvald de Andrade, em 1919, fez um abaixo-assinado para a criação de uma praça que hoje é a Benedito Calixto. Evento para resgatar essa história pede a colaboração de todos.

A organização está a cargo da Associação Amigos da Praça Benedito Calixto (AAPBC) e O Autor na Praça. A presidente Maria Emília Ciavaglia e o jornalista e produtor cultural Edson Lima estão à frente. “Pretendemos que o evento aconteça aqui na praça em abril”, explica Edson. “A AAPBC tem a preocupação em valorizar a praça e seu valor histórico para a cidade”, diz Maria Emília.

A história da criação da praça teve altos e baixos. Nos anos 1910, havia um projeto de criação de uma praça pública na ruas Cristiano Viana com Teodoro Sampaio, onde hoje funciona o Pão de Açúcar. Mas Osvald de Andrade reuniu um grande número de apoiadores que assinaram um abaixo-assinado pedindo que a praça ficasse em frente à paróquia do Calvário. Naquela época o terreno (não com a área que tem hoje) pertencia ao Dr. Cláudio de Souza e era utilizada como passagem de pedestres entre as ruas Cardeal Arcoverde e Teodoro Sampaio.

Gerson Azevedo
Praça Benedito Calixto
Na primeira tentativa, em 1919, o pedido do escritor não teve êxito e a Câmara dos Vereadores da época arquivou o pedido. Mas, em 1925, o projeto voltou a tramitar e foi aprovada em 1930 a doação do terreno pelo Dr. Cláudio de Souza para a criação de uma praça. E, em 1936, a praça foi inaugurada pelo prefeito Fabio da Silva Prado e recebeu o nome do artista Benedito Calixto.

Estar localizada em frente à paróquia do Calvário era o desejo do escritor e de boa parte da população que apoiou a criação do espaço público. Segundo Edson, “os padres da igreja também se esforçaram para que ela ficasse em frente a paróquia”. Ele lembra que as festas juninas da paróquia aconteceram na praça.

A escolha do nome de Benedito Calixto teve entre outras razões, ser dele a pintura religiosa do altar-mor da igreja e de outros trabalhos artísticos em igrejas como as da Consolação e de Santa Cecília. Suas pinturas também podem ser encontradas em museus da cidade.

Nascido em Itanhaém em 1853, além de pintor, Benedito Calixto, também foi desenhista, historiador, fotógrafo, professor, decorador e cartógrafo. Um dos primeiros trabalhos como pintor foi a decoração do teto do Teatro Guarani, em Santos. Graças ao apoio do Visconde de Vergueiro, em 1883, foi estudar pintura em Paris e retornou ao Brasil em 1885 e fixou-se em São Vicente. Suas pinturas com temas marítimos o levaram a ser considerado como pintor do mar. Os temas históricos como a tela de Anchieta escrevendo na praia é uma das obras mais conhecidas. Obras do artista fazem parte dos acervos do Museu Paulista e na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Faleceu em maio de 1930 em São Paulo.

Igreja do Calvário (Gerson Azevedo)
Igreja do Calvário (Gerson Azevedo)
Para comemorar o centenário do pedido pela praça, os organizadores estão convidando quem tiver e puder doar ou fornecer uma cópia, fotos, documentos, mapas, filmes e vídeos da praça. “Além dos moradores, a parceria e participação de empresários que estão na praça será bem vinda, assim como patrocinadores e apoiadores estão sendo contatados para fazer parte deste evento”, informam Maria Emília e Edson.

Todo o material recebido vai passar por uma curadoria que está sendo definida pelos organizadores do evento. “Esperamos receber mais de mil documentos e provavelmente muita informação inédita. Depois faremos uma seleção para uma uma exposição com boa parte das fotos e documentos. Além disso esperamos ter material da igreja do Calvário, casamentos, batizados e também de outras fontes”, explica Edson.

E todo esse material, exposto ou não, fará parte do projeto de memória da Praça Benedito Calixto que a AAPBC vai organizar. “Será o maior arquivo sobre a praça”, prevê Maria Emília.

A Feira da Praça existe desde 1987 e hoje é um dos atrativos da cidade. Aos sábados, das 9 às 17 horas, cerca de 320 expositores de antiguidades, artesanato variado, obras de arte como pinturas, gravuras, fotografias e decoumentos, CDs, LPs, incluindo o Museu da Voz. Tem um espaço gastronômico com muitas opções como acarajés, bolinhos de bacalhau, sanduíches e outras guloseimas. Neste espaço, a partir do meio-dia acontece o Cardápio Musical com a apresentação de cantores e bandas. A partir das 14 horas, quem assume o espaço é o grupo de chorinho que é uma tradição da praça.

O projeto O Autor na Praça – Espaço Plínio Marcos teve início em 1999 com a proposta de ser um ponto cultural com lançamento de livros, encontro com escritores e artistas, apresentação musicais e de poesia entre outras manifestações como o aniversário de São Paulo comemorado no último dia 25 de janeiro e teve a participação dos irmãos Paulo e Chico Caruso além da cantora Fernanda Ouro entre outros artistas que lá se apresentaram.

Se você tem alguma foto, filme, vídeo ou documento da praça Benedito Calixto envie para memoria.pracabeneditocalixto@gmail.com para Florêncio Borges ou para aapbc@uol.com.br para sra. Benê (GA)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA