A tocha olímpica nas mãos da Vila

0
928

O revezamento da tocha olímpica da Rio2016 pelo Brasil terá 2 moradores da Vila: Marco Ciampi, da Arca Brasil e Joyce Venâncio, da loja Preta Pretinha.

Marco Ciampi, presidente da ONG Arca Brasil, fundada em 1993 e com sede na Vila Madalena (www.arcabrasil.org.br), participou do revezamento da tocha olímpica no dia 18 de maio, na cidade de Serra, região metropolitana de Vitória (ES). “Representamos os animais domésticos e, assim, homenageamos todas as pessoas que os amam, principalmente os protetores que dedicam suas vidas a defendê-los”, ele afirma.

A ONG é colaboradora na área de Sustentabilidade da Rio 2016 e indicou Marco e mais três condutores no revezamento da tocha olímpica. Eles representam oficialmente a fauna brasileira que corre risco de extinção: onça pintada, arara-azul e mico-leão.

05_18_2016_Mario Ciampi-Arca Brasil-div
Marco Ciampi, presidente da Arca Brasil, carregou a tocha olímpica em Serra (ES) (Foto/Divulgação)

A participação de Marco em Serra (ES) serviu para chamar a atenção da população para os casos de Leishmaniose Visceral Canina (LVC), principal zoonose do país que atinge cães e gatos. “Desde 2012, nossa Campanha Prevenção é a Melhor Solução aponta caminhos para combater essa terrível doença. Os animais merecem essa homenagem, e para mim, é uma grande honra mais essa missão pelos bichos”, diz Ciampi.

Depois de levar a tocha, Marco fez uma palestra em uma escola por onde a tocha passou. “Foi muito emocionante participar deste momento e também o entusiasmo e o carinho recebido dos estudantes da escola”, explica.

Joyce Venâncio é outra pessoa do bairro que foi selecionada para fazer o revezamento da tocha. O convite feito por um dos patrocinadores, a Nissan, levou em conta a história da loja Preta Pretinha (www.pretapretinha.com.br) que Joyce e suas irmãs Lucia e Cristina fundaram no ano de 2000, na Vila Madalena. A loja iniciou vendendo bonecas e bonecos que respeitam e incentivam a diversidade. Seja cultural, racial, étnica e também levam em conta as pessoas com deficiência. “Promovemos a inclusão social de todos”, lembra a empreendedora.

O processo para a escolha de Joyce para levar a tocha teve início no final de 2015. “Foram várias etapas até ser fui informada que seria uma das condutoras da tocha. Sei que será quando a tocha estiver aqui em São Paulo, por volta do dia 24. A organização vai me informar alguns dias antes. Estou animada e sinto que é uma forma de homenagear a diversidade e também à minha avó Maria Francisca. Foi ela quem nos incentivou, quando éramos crianças, a criar as nossas próprias bonecas”.

Para Joyce fazer o revezamento da tocha, “é uma oportunidade de mostrar às pessoas nosso trabalho com as bonecas e a causa da diversidade, que sempre divulgo quando sou convidada a fazer palestras em escolas e associações. A tocha olímpica representa a paz mundial e é o que fazemos na Preta Pretinha desde sempre”, diz.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA