Mural Casa de Cultura, para curtir e dançar

0
145

Foto: Divulgação

Divulgação
Fi Bueno e Anastácia, em um show na Mural Casa de Cultura

Um novo espaço com música ao vivo, o Mural Casa de Cultura, se propõe a oferecer um cardápio bem variado de todos os estilos da música brasileira. Para ouvir e para dançar.

Um dos sócios do Mural é Carlos Magno, “mas sou mais conhecido como Magno do Forró”. Mineiro, Magno vive em São Paulo há décadas. “Fui músico mas deixei os palcos para passar a produzir os shows e me sinto mais livre”, conta ele que criou diversas casas e restaurantes na cidade. Entre elas o Canto da Ema, que funciona no Largo da Batata e é um ícone para quem gosta de música nordestina.

Magno, criador do espaço cultural (Divulgação)
Magno, criador do espaço cultural (Divulgação)
Sobre o novo empreendimento na Vila Madalena, Magno explica que “Demos o nome de Mural à casa porque é o que queremos ser no cenário musical da região: um verdadeiro mural de estilos musicais brasileiros. Todos os estilos terão vez e voz. Do samba ao carimbó do Pará, do sertanejo ao forró pé de serra e muito mais”, descreve Magno a ideia do conceito do Mural de agora e do futuro próximo.

Um dos destaques do Mural, segundo Magno são as aulas de dança que acontecem antes dos shows. “Para quem quer aprender a dançar e aproveitar melhor o nosso espaço. Afinal, dançar é muito bom”, garante ele que afirma ter feito recentemente uma música da filarmônica russa cair na dança.

Presente na programação, a música sertaneja estará presente em noites determinadas. “Queremos que o palco do Mural receba artistas como Céu, Otto, Chico César, Amilcar de Souza, Mart’nália. Temos festas para todos os públicos, incluindo o soul music ”, explica Magno.

Espaço para dançar e música brasileira de todas as regiões (Divulgação)
Espaço para dançar e música brasileira de todas as regiões (Divulgação)
A casa foi inaugurada em novembro de 2019 e ainda está ajustando a programação. “A festa de réveillon trouxe 950 pessoas para passar o final do ano conosco. Foi preciso mandar o pessoal ir embora. Foi muito legal e tudo correu muito bem”. Magno é o responsável pela Festa Secreta, onde os ingressos não são vendidos na bilheteria. “Só entra quem estiver com o nome na lista. Na próxima edição, em 7 de fevereiro, serão três trios de forró”, adianta.

O Quintal do Fi é outra festa que já teve algumas edições e fez sucesso. A organização da festa fica por conta do músico Fi Bueno, que é morador da Vila Madalena e dono da Escola Casa da Música. Fi já trouxe para o Mural, Anastácia e Zeca Baleiro em apresentação que lotou a casa.

A estrutura do Mural ocupa cerca de 450 m², com ar condicionado, três bares, mezanino e área para fumantes. O piso do salão é de madeira e cimento. Magno limita a 600 pessoas nas festas de forró e explica a razão. “Quem gosta de forró gosta de dançar e precisa de mais espaço e o piso de madeira é essencial para a dança acontecer”. Destaca também que o Mural se preocupou em dar conforto aos portadores de deficiência. Rampas e outras facilidades fizeram parte do projeto. “Quero incluir todos”, diz.

Com o carnaval para acontecer em breve, Magno avisa que o Mural não finalizou a programação mas garante que a casa vai abrir todos os dias e com música da boa. Bora dançar? (GA)

Mural Casa de Cultura, Rua Luiz Murat, 370, tel. 3530-3382, www.facebook.com/muralcasadecultura/

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA