O baú do Lira

0
503

Foto:

Riba de Castro (à esq.) autografa livro para integrantes do grupo Paranga, de São Luís de Paraitinga

Ícone do cenário cultural-musical da cidade, o Teatro Lira Paulistana ganha livro de um dos seus fundadores.

Entre os anos de 1979 e 1986, uma pequena porta na Rua Teodoro Sampaio, 1.091, em frente à Praça Benedito Calixto, dava acesso ao Teatro Lira Paulistana. O porão reunia uma plateia com até 300 pessoas para assistir a shows, cinema, peças de teatro, performances e outras manifestações culturais.

Berço do movimento musical chamado de Vanguarda Paulista, o Lira, como era conhecido entre artistas e público, recebeu em seu palco novos músicos da época: Itamar Assumpção, Arrigo Barnabé, Tetê Espíndola, grupos como Rumo, Língua de Trapo, Premeditando o Breque e outros.

Outros nomes do cenário musical da cidade também fizeram sua estreia no Lira. Entre os que ainda estão na estrada, Titãs e Ultraje a Rigor. E os com carreira consolidada também davam o ar da graça com seu talento: Olivia Byington, Jards Macalé, Jorge Mautner e Tom Zé estavam sempre se apresentando por lá.

O sucesso do Lira levou seus fundadores, Fernando Alexandre, Wilson Souto Junior, Fernando Rozo Perez, Plínio Chaves, Chico Pardal e Riba de Castro, a embarcar em novos projetos. O pessoal do Lira criou uma editora, um jornal semanal – o primeiro da cidade a publicar as opções de lazer da cidade, uma gravadora e shows ao ar livre. O primeiro deles aconteceu na Praça Benedito Calixto, em 1982, no dia 25 de janeiro. 

Toda essa história Riba de Castro, que chegou ao Lira com uma cópia do longa O Homem que Virou Suco, de João Batista de Andrade, reuniu no livro Lira Paulistana, um Delírio de Porão, lançado no dia 11 de setembro, na Biblioteca Alceu Amoroso Lima. Na noite do lançamento, vários personagens dessa epopeia cultural-musical marcaram presença.

Riba, além do livro, produziu o documentário musical Lira Paulistana e a Vanguarda Paulista e promete para breve a gravação de um disco com as músicas e os músicos que se apresentaram no Lira. “Dessa forma completo a história do Lira para quem quiser conhecer e ouvir”. 

O livro tem um acervo de fotografias, cartazes e depoimentos dos donos do Lira, dos artistas e do público. Leitura recomendada para quem viveu aqueles tempos e quer entender um pouco mais sobre aquela época, com a arte do Lira Paulistana. 

www.vanguardapaulista.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA